RESGATE E REALOCAÇÃO DE EPÍFITAS NO ÂMBITO DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTO LINEAR

Autores

  • Maurício Shoji Seki Universidade Estadual Paulista e Universidade Federal do Paraná https://orcid.org/0000-0001-7190-5075
  • Renato Muzzolon Avistar Engenharia de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho
  • Renato Muzzolon-Júnior Muzzolon Peritos & Associados

Resumo

Um empreendimento linear licenciado é condicionado à realização de programas ambientais, dos quais destacam-se aqueles relacionados ao resgate da flora atingida. A diretriz consiste em salvaguardar espécies botânicas de especial interesse, dentre elas a comunidade epifítica. O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência das epífitas realocadas das áreas de supressão de obras lineares, na região metropolitana de Florianópolis/SC. Os resgates ocorreram antes, durante e após a supressão vegetal, pelos métodos com e sem forófito, focando espécies das famílias Bromeliaceae, Orchidaceae, Polypodiaceae e Cactaceae. A realocação se fez em ambientes próximos e similares aos originais, por meio da amarração com barbante de sisal. O monitoramento ocorreu mensalmente ao longo de um ano. As taxas de sobrevivências geral, com forófito e sem forófito foram 31%, 45% e 17%, respectivamente. A mortalidade foi atribuída a fatores climáticos relacionados ao regime hídrico. A translocação de epífitas com forófito revelou melhores resultados, podendo ser recomendada para a atividade, mas requereu procedimentos específicos com uso de motosserras.

Biografia do Autor

Maurício Shoji Seki, Universidade Estadual Paulista e Universidade Federal do Paraná

Profissional graduado em engenharia florestal pela UNESP (2004) e mestre em engenharia florestal pela UFPR (2020).

Renato Muzzolon, Avistar Engenharia de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho

Geólogo formado pela UFPR.

Renato Muzzolon-Júnior, Muzzolon Peritos & Associados

Engenheiro ambiental formado pela PUC.

Referências

ALVES, R.; MIMURA, B. F. E.; ROIZ-JÚNIOR, E. Programa de salvamento de germoplasma durante a implantação de um empreendimento no bioma Mata Atlântica - SP. In: Simpósio de Meio Ambiente, 6., 2010, Viçosa. Anais... Viçosa: Centro Brasileiro para Conservação da Natureza e Desenvolvimento Sustentável, 2010. p. 1-12.

BENZING, D. H. Vascular epiphytes. In: LOWMAN, M.; RINKER, B. (org.). Forest canopies. 2. ed. Boston: Elsevier, 2004. p. 175-211.

BONNET, A. Caracterização fitossociológica das bromeliáceas epifíticas e suas relações com os fatores geomorfológicos e pedológicos da planície do rio Iguaçu, Paraná, Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

BRAUN-BLANQUET, J. Plant sociology: the study of plant communities. 1. ed. Chicago: The University of Chicago, 1932.

CHAZDON, R. L. Renascimento de florestas: regeneração na era do desmatamento. São Paulo: Oficina de Textos, 2016.

DUARTE, M. M. Transplante de epífitas entre florestas estacionais semideciduais para enriquecimento de florestas em processo de restauração. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências - Recursos Florestais) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

DUARTE, M. M.; GANDOLFI, S. Enriquecimento de florestas em processo de restauração: aspectos de epífitas e forófitos que podem ser considerados. Hoehnea, v. 40, n. 3, p. 507-514, 2013.

GUTIERRE, M. A. M.; SANTOS, P. T. S.; SANTOS, D. R. Resgate de epífitas na usina hidrelétrica de Mauá. 1. ed. Maringá: Massoni, 2017.

IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

INCT/HVFF. Rede speciesLink, 2012. Disponível em: <http://www.splink.org.br/index?lang=pt>. Acesso em: 7 ago. 2020.

INMET. Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa – BDMEP, 2020. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br>. Acesso em: 7 ago. 2020.

JASPER, A. et al. Metodologia de salvamento de Bromeliaceae, Cactaceae e Orchidaceae na Pequena Central Hidreletrica (PCH) Salto Forquet - São José do Herval / Putinga - RS - Brasil. Pesquisas, Botânica, n. 56, p. 265–284, 2005.

MPB ENGENHARIA. Contorno rodoviário de Florianópolis - Estudo de impacto ambiental. Florianópolis: Autopista Litoral Sul, 2013. Relatório Técnico, v. 4.

REFLORA. Plantas do Brasil: resgate histórico e herbário virtual para o conhecimento e conservação da flora brasileira, 2014. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br>. Acesso em: 7 ago. 2020.

SANTOS-JÚNIOR, N. A.; TAMAKI, V. Realocação de plantas resgatadas em processos de supressão da vegetação: uma ação do projeto Rodoanel Trecho Norte/SP. In: Reunião Anual do Instituto de Botânica, 21., 2014, São Paulo. Anais...São Paulo: Governo do Estado de São Paulo - Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, 2014. p. 1-4.

TPL. The Plant List: a working list of all plant species, 2013. Disponível em: <http://www.theplantlist.org>. Acesso em: 7 ago. 2020.

UNEMAT. Programa de resgate de flora no canteiro de obras da UHE Colíder. Rio Teles Pires: SAMAF, 2011. Relatório técnico.

VELOSO, H. P.; RANGEL-FILHO, A. L. R.; LIMA, J. C. A. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE - Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais, 1991.

Downloads

Publicado

06/15/2022

Edição

Seção

Artigos Técnicos